terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Parte 2

...Depois de atravessar um trecho de muita lama em uma trilha na mata que chega no caminho da fé, jáme encontrava bem cansado após somente 19km de prova, ao chegar cidade de Águas da Prata, o que é terrível para quem não completou nem 10 % da prova, chegando na cidade eu recebi uma energia que receberia por toda a prova a minha equipe que tocava a vuvuzela e colocava o som do carro nas alturas, não por acaso elesforam chamados pelos gringos de funny boys!! Em Águas eu tive o meu primeiro pacer que foi o Ultra amigo e aluno Rodrigo, fomos juntos até o temível Pico do Gavião. Confesso que nesses 20 km que separam Águas da Prata a base do Pico do Gavião eu estava me sentindo mal e nitidamente percebi que minha pressão estava caindo, isso devido ao cansaço do primeiro trecho e ao calor do dia, então resolvi me concentrar, diminuir o ritmo, me alimentar mais, inclusive com azeitonas e me hidratar bem, fiquei caminhando e me sentindo assim por quase uma hora, foi quando as coisas melhoraram, e felizmente foi bem no início da subida da montanha mais alta da prova. A subida foi difícil, mas eu estava feliz, pois agora eu estava entrando na prova, subimos eu e o Rodrigo, tiramos foto do Pico, encontramos com a galera no carro com muita música e vuvuzela, e descemos. Chegando na Base do Pico eu tive a companhia de outro Ultra amigo e aluno o Duane, e fomos juntos até a cidade de Andradas, nesse trecho não tive maiores problemas e fomos muito bem. Em Andradas já se foram mais de 60 km de prova, lá parei fiz uma refeição e subi com outro pacer a Ultra amiga e aluna (veterana da BR135) a Fabíola e fomos juntos subir a Serra dos Lima, subimos bem e vimos o primeiro dia ir embora e a noite começar. No alto da Serra comemos um macarrão e aproveitei para fazer um descanso mental com meditação, de lá voltei a ter a companhia do Rodrigo e descemos a serra em direção a cidade de Barra e depois Crisólia, chegando em Crisólia tive ânsia e comecei a passar mal, vomitei e percebi que precisava equalizar a minha acidose, tomei antiácido e descansei um pouco, a essa altura tínhamos quase 100km de prova, quando me senti melhor rumei para a cidade de Ouro Fino, já na companhia de Duane e cheguei lá já no final da madrugada, e nesse momento fiquei preocupado pois comecei a sentir dores no joelho esquerdo, era hora de descansar e tentar começar a cuidar do joelho, metade da prova já tinha passado, e a preocupação de um novo fracasso agredia a minha cabeça...

Equipe em Aguas da Prata:


Eu com o Rodrigo:


Chegando em Aguas da Prata, apenas 19 km...


Foto de meu primo e até nesse momento o motorista oficial Maurício no Pico do Gavião



Incentivo de um dos funny boys, e não é que além de música os caras mostravam cartazes, energia extra!!


Super apoio... Fabíola trocando meus tênis:



O pacer agora era o Duane... indo pra Andradas:



Já com a Fabíola como pacer, encontramos os colegas de equipe e desafiadores da BR135 Edson e Fabricio, aproveitei e toquei a vuvuzela, rs:



Correndo na noite com o Duane, nessa altura já sentia o joelho esquerdo:

3 comentários:

  1. Prova irada!!! Parabéns!!!

    Fábio
    www.42afrente@blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Afff, e vamos lááá! Cadê o terceiro post?! Eu estou postando lá no meu blog que você já relatou a prova!!! Kkkkkkk.
    Que prova punk!

    ResponderExcluir
  3. Mayumi já ta aí o 3, rs, valeu fabio!!

    ResponderExcluir